sábado, 15 de julho de 2017

Quantas lágrimas…

Quantas lágrimas não chorei já por ti
E quanto amor não já desperdicei
Ao desaparecer no mundo cruel da solidão.

Penso em ti, nesta angústia dos dias que me torturam
E subo aos céus à procura do cintilante brilho dos teus olhos.

Engana-me o sol e o pássaro que pousa no meu ombro e me beija.
Mas sinto no horizonte toda a luz do amor
E todos os doirados campos tecidos de melancólica paixão que me adormecem
Nesse doce sonho do dia que está para chegar,
Envolvendo-te em meus braços
E acabando finalmente por te beijar.

Sem comentários:

Enviar um comentário