sábado, 18 de junho de 2016

Quando te perdi...

Quando te perdi, não perdi apenas o meu Sol,
Perdi a minha lua, a minha musa
O meu singelíssimo pôr do Sol
Belo, tal como a tua recusa
Em aceitar esta minha solidão
Que te afastava do meu coração.

Aceitei, arrumei-te as malas de viagem
Beijei-te na testa, como merecias.
E agora, possuo apenas a tua imagem
No reflexo das fotografias.