segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Não quero...

Não, não quero escrever
não quero acalentar as mágoas do meu coração
não quero suster
as lágrimas da minha negra paixão.

Não quero perder
horas numa triste oração
perdida na solidão
de quem não me quer.

Recuso-me a existir
num coração alheio
podre triste e velho.

Resta-me persistir
no caminho da vida
Até encontrar minh'alma perdida.