terça-feira, 4 de setembro de 2012

Para além de um beijo


Quando penso nos teus doces olhos profundos
Escorrem em minha face as lágrimas da solidão
Que nunca conheci em todos os outros mundos
Nos quais vivi, sem a companhia do teu coração.

O sentimento, é já tão antigo?!
Ninguém pergunta pela novidade
O único que sabe, o meu amigo,
Já nem sequer me fala de saudade.

Pássaro sem ninho, sujeito à doce leveza do meu amor
Corpo sem alma, alimentado pelo efémero desejo,
De encontrar alguém no meio do caos, do horror
E que nada mais me peça para além de um beijo.