segunda-feira, 23 de maio de 2011

Montanha da Lua

Sinto falta da montanha da lua,
Aquela que sussurrava ao meu ouvido
Os desventurados amores que tive
E dos quais estou já perdido.

Deposito a minha triste alma nua
Num monte de rosas mortas
Algures na minha mente esquecido
Por entre becos e ruelas tortas.

Nada dentro de mim ainda vive
(Faleceram as paixões e os amores
E todos os sonhos que tive.)

Com as fragrâncias, os doces odores
Das rosas da minha louca paixão
Que se finou dentro do meu coração.